fbpx

Querendo sair do aluguel? Nós temos 6 dicas essenciais!

6 minutos para ler

Pouca liberdade e falta de espaço são algumas das razões comuns por trás da vontade de sair do aluguel. Para muitas pessoas, essa mudança também significa dar valor ao próprio dinheiro, já que a ideia é fazer com que os gastos mensais passem a ser destinados à compra do imóvel próprio.

Na aquisição, mesmo que faça um financiamento, você conta com a tranquilidade de saber que a habitação será sua. Quer mais bons motivos para seguir com a proposta?

Ao investir em um apartamento, você poderá deixá-lo com a sua cara e adequar cada ambiente às suas preferências. Também terá condições de gerar renda com a locação para outras pessoas, caso tenha essa necessidade em algum momento.

Que tal começar? Veja agora os 6 principais passos para se planejar e desfrutar desses benefícios.

1. Estabeleça metas financeiras

Sair do aluguel e comprar um apartamento pode parecer um processo longo quando ainda não se tem toda a quantia para a compra do bem. Em todo caso, é crucial ter em mente que existem várias alternativas além da compra à vista.

Se você quer um lugar para chamar de seu e precisa de um incentivo, experimente definir metas financeiras. Elas podem ser divididas em etapas para cumprir em curto, médio ou longo prazo. São ações valiosas porque, quando atingidas, geram um estímulo positivo para você continuar sua jornada.

Um exemplo de meta de curto prazo é economizar um determinado valor da renda por 6 meses. Se tudo der certo, você pode aumentar esse montante ou até aplicá-lo em algum investimento. O importante é sempre ter um objetivo que envolva o controle das finanças.

2. Busque formas de aumentar a renda

A melhor forma de acelerar o alcance de suas metas é aumentar os ganhos. Em um planejamento de compra, mesmo que envolva bens de alto valor, qualquer adicional passa a ser útil para facilitar o processo. E a boa notícia é que existem várias maneiras de complementar a renda.

Você pode assumir trabalhos em períodos alternativos ou em outros espaços, aumentando a carga horária por determinado tempo. Faça isso em dias específicos, com bastante planejamento para não deixar a rotina pesada. O objetivo é acumular um valor mais alto em um prazo menor.

3. Elimine dívidas e maus hábitos

Vale a pena pensar em práticas que ajudem a enxugar as despesas que você tem atualmente. Faça isso bem antes de sair do aluguel para ter segurança na transição de uma moradia para outra.

Como cada realidade é única, procure refletir sobre sua condição e identificar os pontos que podem ser alterados sem comprometer sua qualidade de vida. Dá para poupar dinheiro em itens considerados supérfluos, além de planos, pacotes e mensalidades de serviços que não são bem aproveitados.

Se você tem dívidas, comece o corte de gastos por elas para não ter surpresas desagradáveis nos próximos meses. Também reduza, sempre que possível, o uso do cartão de crédito. Esse recurso gera a falsa impressão de que há dinheiro sobrando para gastar, o que prejudica as suas economias.

4. Organize e controle as finanças

Contar com a memória não é uma boa ideia quando precisamos juntar dinheiro. Ao longo do dia, sem ao menos perceber, você corre o risco de gastar com coisas que pesam no orçamento. Mesmo os itens de baixo valor precisam ser contabilizados por quem pretende se organizar.

Para ter sucesso nesse trabalho, compensa criar uma espécie de planilha física ou digital contendo todas as suas movimentações financeiras. Esse documento vai gerar um histórico valioso para você observar os principais custos ao longo de cada mês.

Se quer sair do aluguel e encontrar o imóvel ideal, faça esse controle diariamente. Anote todas as entradas e saídas de dinheiro, com o máximo de detalhes. Assim, será mais fácil definir onde cortar gastos e os hábitos que podem ser alterados com foco em economia.

5. Monte um orçamento e uma reserva

Seguir os passos anteriores dará um bom preparo para você elaborar um orçamento que considere suas preferências sobre um imóvel. Pense nos motivos para sair do aluguel e, com base nessa reflexão, comece a determinar as características que precisam aparecer na próxima moradia.

Se o fato de viver de aluguel tem tirado algo que você valoriza muito, use esse fator como norte para escolher a futura habitação. Uma pessoa que faz questão de ter uma área para receber os amigos, por exemplo, deve buscar um apartamento que tenha espaço adequado para abrigar um grupo com conforto.

Todas essas questões, como tamanho, estrutura e demais detalhes, vão indicar um valor médio a ser gasto. Então, avalie cada aspecto para montar um orçamento equilibrado. É claro que adaptações podem ser feitas para que os desejos caibam no bolso, mas jamais ignore suas prioridades.

Nesse processo, procure sempre guardar uma quantia extra para não mexer no orçamento e acabar se desestabilizando. Ela deverá ficar separada do restante para que seja usada apenas em situações emergenciais, como um imprevisto familiar ou um tratamento de saúde.

6. Compare diferentes imóveis

Mesmo que a ansiedade para mudar esteja tomando conta, não tome decisões por impulso. O tempo a mais gasto nas pesquisas por empreendimentos será compensado com a satisfação de ter o cantinho perfeito para você viver.

Não se contente com uma lista limitada de casas ou apartamentos. Hoje, o mercado oferece opções variadas para todos os perfis de compradores. Assim, independentemente do orçamento estipulado, a recomendação é que você avalie e compare diversos lugares antes de escolher.

Faça um levantamento dos prós e contras de cada unidade para filtrar as melhores oportunidades. Também verifique os gastos envolvidos, as condições de pagamento e detalhes relacionados, como o valor da parcela do imóvel. Se for adquirir à vista, confira se há descontos atrativos.

Cuidados como esses deixarão você muito mais confiante para planejar cada passo e sair do aluguel de uma vez por todas. Lembre-se de que cada detalhe conta na hora de buscar um apartamento que atenda às suas expectativas, seja em relação à moradia, seja em questão de investimento.

Ainda não tem cadastro na nossa newsletter? Aproveite e assine agora para receber as próximas publicações em sua caixa de entrada de e-mail!

Posts relacionados

Deixe um comentário

Pin It on Pinterest

Share This