fbpx

Aprenda 4 formas de pagar um imóvel!

4 minutos para ler

Comprar um imóvel é o sonho de grande parte dos brasileiros. Para acertar na escolha e não deixar que ele se transforme em um pesadelo é preciso analisar uma série de fatores. Recém-casados, que constituirão família, por exemplo, devem priorizar empreendimentos que possuam estruturas de lazer e demais alternativas para diversão, conforto e qualidade de vida de sua futura família.

Outro ponto que deve ser analisado é: comprar imóvel na planta ou já construído. Nesse caso, é preciso ponderar as vantagens de cada uma das opções. Para imóvel na planta, é necessário lembrar que não será possível realizar a mudança de imediato, mas as condições para compra tendem a ser mais simples.

Porém, apesar da importância desses itens, o principal empecilho para a compra de imóveis continua sendo a forma de pagamento. É fundamental pensar bem antes de escolher uma das possibilidades, certificando que conseguirá arcar com o compromisso realizado.

Quer uma ajuda? Então, leia este artigo e aprenda 4 formas de pagar um imóvel.

1. Financiamento

O financiamento é uma das formas mais utilizadas pelos brasileiros para pagar um imóvel. Podemos dizer que funciona como um empréstimo, no qual você quita o bem com os recursos do banco e, depois, recompensa-o por meio do pagamento de juros.

Em termos de financiamentos, existem duas modalidades disponíveis: tabela Price e tabela SAC. A primeira é aquela em que o consumidor paga uma parcela fixa por mês, mediante a utilização de juros compostos. Já a segunda é baseada na amortização constante, ou seja, o pagamento contempla uma parte do saldo devedor e do montante de juros. A prestação inicial é mais alta do que a da tabela Price, mas o valor vai decrescendo com o passar do tempo. Vale a pena conhecer um pouco mais!

2. Consórcios

Uma alternativa para comprar um imóvel são os consórcios. Pessoas que não possuem uma grande quantia de dinheiro e/ou não têm pressa em se mudar, costumam optar por eles.

A grande desvantagem dessa modalidade é que é preciso esperar ser sorteado para poder adquirir o bem. Em contrapartida, existem inúmeras vantagens, como a não incidência de juros (apenas a taxa de administração) e a rapidez do processo de aprovação.

3. FGTS

Nos últimos anos, cresceu muito o número de pessoas que utilizaram o FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) como uma das formas de quitar um imóvel. É possível utilizá-lo para o pagamento integral ou parcial do bem. Porém, para ter direito a esse benefício é preciso comprovar uma ocupação, sob o regime do FGTS, por, pelo menos, três anos e não ser proprietário de outro imóvel.

Existem outras exigências para conseguir utilizar o FGTS para comprar um imóvel: o bem deve se localizar no perímetro urbano onde o comprador reside (ou na mesma região metropolitana). Além disso, o valor do imóvel não pode ultrapassar 1,5 milhão

4. À Vista

O pagamento à vista é a melhor maneira de comprar um bem, mas é a menos utilizada. É possível conseguir descontos consideráveis e, o principal, evitar os juros. Nesse caso, a liberação do imóvel é imediata e não é preciso passar por nenhum processo de aprovação. Porém, é necessário se planejar. Apenas uma organização financeira cuidadosa é capaz de evitar surpresas desagradáveis.

Lembre-se que o imóvel não é a única despesa que o comprador terá. Existem taxas, como comissões, documentações e demais despesas de cartório. Além disso, deve-se certificar que não será necessário realizar nenhuma obra, evitando custos extras.

Listamos 4 formas de pagar um imóvel. Pesquise um pouco mais, reveja suas finanças, planeje-se e realize o seu sonho. Procure por empresas especializadas no assunto e aproveite o momento de baixa nos preços. Certamente, existe um imóvel do jeito que você sempre sonhou disponível! Não perca tempo!

E aí, gostou do artigo? O que achou das formas de pagar um imóvel? Gostaríamos de saber sua opinião! Deixe um comentário e participe do nosso blog! Contamos com você!


Posts relacionados

Um comentário em “Aprenda 4 formas de pagar um imóvel!

  1. Faltou o financiamento direto com as construtoras, onde o prazo costuma ser menor e muitas só cobram a desvalorização da moeda aplicando a taxa de poupança acumulativo nas parcelas. Uma excelente opção para quem tem uma pequena entrada.

Deixe um comentário